parto de palavras

rosane coelho

Meu Diário
14/08/2006 19h31
APRENDIZADO
(Ferreira Gullar)

Do mesmo modo que te abriste à alegria
abre-te agora ao sofrimento
que é fruto dela
e seu avesso ardente.

Do mesmo modo
que da alegria foste
ao fundo
e te perdeste nela
e te achaste
nessa perda
deixa que a dor se exerça agora
sem mentiras
nem desculpas
e em tua carne vaporize
toda ilusão

que a vida só consome
o que a alimenta.

De Barulhos (1980-1987)

* do Baú da Nédier *


"A vida só consome o que a alimenta."
Porque sempre há outra forma de dizer: A vida se alimenta do que nos consome.
Alegria e sofrimento: só a vivência do sofrimento determina o conceito e o exercício da alegria. Ou frio ou quente. O morno é o marasmo, é a falta de sentido. Se não vivêssemos a tristeza, não saberíamos o significado da alegria...
Bem_dito, poeta!

Publicado por Rosane Coelho em 14/08/2006 às 19h31
 
13/08/2006 11h43
NA MANHÃ DO MILÊNIO
(Thiago de Mello)

De que valeu o assombro indignado
e esta perserverança que me acende
em pleno dia a estrela que me guia,
seguro do meu chão e do meu sonho?
De que valeram todos os prodígios
da ciência mergulhando nas funduras
mais escuras da terra e dominar
jamais imaginadas vastidões
para encontrar a luz fossilizada?
Do que valeu meu passo peregrino
pelo tempo, meu grito solidário,
a entrega ardente, o castigo injusto,
o viver afastado do meu povo,
só porque desfraldei em plena praça
a bandeira do amor? Do que valeu
se hoje, manhã deste milênio novo,
avança, imensa e escura bem na fronte
a marca suja da miséria humana,
gravada em cinza pela indiferença
dos que pretendem donos ser da vida,
avança escura uma legião de crianças
deserdadas do amor e todavia
capazes de sorrir: maior milagre
do século perverso que findou?
De que valeram todas as palavras
que proferi na treva da esperança?
Tão pouco, talvez nada. Não consola
saber que fiz, que fiz a minha parte,
que reparti com tantos o diamante,
que olhei o sol de frente e não fugi
(nem do meu próprio medo).
De consolo não cuido. Pois valeu.
Que tudo vale a pena quando a alma
não é pequena.*
Não sei o tamanho
da minha alma. Só sei que vou varando
o fim do rio, já posso discernir
a margem que me chama. Mas obstinado
confiante sigo no poder distante
da estrela alucinante. Que destino
de estrela é o de brilhar.
E mesmo extinta
brilhante permanece sobre o mundo.


* Verso de Fernando Pessoa


Homenagem aos 80 anos de Fidel Castro, estrela viva que permanece sobre o mundo iluminando o caminho da igualdade social.

Publicado por Rosane Coelho em 13/08/2006 às 11h43
 
12/08/2006 18h19
VIAGEM
“A verdadeira viagem de descoberta não consiste em procurar novas paisagens, mas em ter novos olhos."

(Marcel Proust)

* do Baú da Nédier *

É essencial, para o aprimoramento da nossa alma, que tenhamos, a cada dia, mais do que novos olhos: novos olhares. Novas formas de olhar, ver, interpretar e sentir a mesma antiga paisagem, o mesmo rotineiro gesto, o acontecimento que nos fez felizes e o que nos entristeceu também. É preciso re-ver, re-avaliar, re-considerar, re-formular...

Publicado por Rosane Coelho em 12/08/2006 às 18h19
 
06/08/2006 19h36
EM PAZ...
(Lênia Luz)

Lênia, querida poeta

Caminhar é o principal; o destino, se houver, é acessório.
Eu também caminho SEMPRE! Sempre de coração aberto, mesmo que a alma não esteja tão lavada...

Um beijo iluminado pela persistência no desbravamento de caminhos...

Publicado por Rosane Coelho em 06/08/2006 às 19h36
 
05/08/2006 16h11
DERROTAS
(Carlos Drummond de Andrade)

"Chego à conclusão de que a derrota, para a qual nunca estamos preparados, de tanto não a desejarmos nem a admitirmos previamente, é afinal instrumento de renovação da vida. Tanto quanto a vitória, estabelece o jogo dialético que constitui o próprio modo de estar no mundo. Se uma sucessão de derrotas é arrasadora, também a sucessão constante de vitórias traz consigo o germe de apodrecimento das vontades, a languidez dos estados pós-voluptuosos, que inutiliza o indivíduo e a comunidade atuantes. Perder implica remoção de detritos: começar de novo."

* do Baú da Nédier *


Mais gratificante que a vitória ou a derrota é a luta. Mais importante que a chegada é o caminho. Melhor do que a festa é a expectativa do acontecimento. O processo é muito mais enriquecedor que o resultado.

Publicado por Rosane Coelho em 05/08/2006 às 16h11



Página 7 de 14 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras