parto de palavras

rosane coelho

Meu Diário
09/09/2006 16h19
AS ÁGUAS
(Lya Luft)

Quando pensei que tinha chegado
era outra surpresa,
era mais uma curva no rio.

Quando calculei que tudo estava pago
havia ainda os juros
do tempo do esforço
do amor.

Quando achei que estava acabado
os caminhos se espalmaram
como dedos da mão
de um deus,
na torrente no vento
no sopro do universo.


Tela: No es nada de tu cuerpo/Orlando Pedraza

* Tudo do Baú da Nédier *

Eu não sei nada. Tudo é presumido, nada é garantido... Quem sabe? Sei lá! Eu não sei nada. A vida surpreende. Sempre. Meu grande medo, mesmo, é achar que está começando o que já estava acabado...

Publicado por Rosane Coelho em 09/09/2006 às 16h19
 
06/09/2006 20h26
BUMBO NO PEITO
(Elisa Lucinda)

Meu coração bate forte e escandaloso
Meu coração é doloso, teimoso
planeja o desejo e o comete.
Meu coração é charrete dos meus impulsos
batuta dos meus pulsos, mestre-sala, tambor.
É um ator. Simula que está dormindo
e acordado fabula o sonhador.
Meu coração é mais que um órgão de artérias e enfartos
ele é o tempo que passo sintonizada com a vida
uma escola de samba que me arrasta em alas pela avenida
é o dial do meu percurso
é o relógio de curso que margeia meus rios
é a fluência que eu tenho espalhada
no Tocantins dessa estrada.

Às vezes parece homem meu coração...
pisa forte sem carinho com decisão
inda admira as mulheres
Generoso e calculista ensina aos homens o que avista.
Ansioso, me ordena rápidas premissas,
mente pra mim, me enrola dizendo que vai pra missa
e quer que eu o leve a sério.
Sou rendida aos seus segredos e atenta aos seus caprichos
Ele gosta de amar, tem um jeito maquinista
de transformar dor em poesia, meu coração é o tal.
Meu coração se copia e me mostra tudo
menos o original.



Já pensou se a gente só sentisse o que a razão permitisse?

Publicado por Rosane Coelho em 06/09/2006 às 20h26
 
02/09/2006 23h28
O SILÊNCIO...
"Fica o silêncio depois da música e depois do sermão, que importa que se louve o sermão e aplauda a música, talvez só o silêncio exista verdadeiramente."

(José Saramago, em Memorial do Convento)

* Imagem do Baú da Lênia *


FALAR X CALAR (uma variante...)

revela a evidência,
encobre a essência:
fala!

despreza a evidência,
desvenda a essência:
cala!

Publicado por Rosane Coelho em 02/09/2006 às 23h28
 
01/09/2006 17h31
SABER
(Alice Ruiz)

lembra o tempo
que você sentia
e sentir
era a forma mais sábia
de saber
e você nem sabia?


* Imagem enviada por Nilmar e texto por Nédier *


Se você lembrar é porque não valeu. É sinal que você elaborou o sentimento pra alcançar o saber. Aí não foi natural, não foi inocente. Foi consciente... Você sabia...

Publicado por Rosane Coelho em 01/09/2006 às 17h31
 
28/08/2006 22h54
GUARDAR ESTRAGA
(Arnaldo Antunes)

* do baú da Lênia *

Então gasta; não economiza. Declara; não sonega. Libera; não reprime. Sente; não sublima. Fala; não cala. Vive; não adia...

Publicado por Rosane Coelho em 28/08/2006 às 22h54



Página 5 de 14 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras